Eu comi a Julia Roberts

14 11 2008

Quando foi para aquele cruzeiro no Caribe junto com os colegas do escritório, Sandrinho nem imaginava o que poderia acontecer. Em uma festa no navio, foi difícil de acreditar: às duas horas da madrugada ele estava nu e atracado com a Julia Roberts.

 

Isso mesmo, Julia Roberts, celebridade de Hollywood em um momento de solteirice aguda pagou uma bebida a ele e o convidou para subir até a sua cabine. E foi lá onde tudo aconteceu: tomaram banho juntos, comeram juntos, beberam juntos e transaram loucamente.

 

         – Meu Deus, a Julia Roberts! Pensava Sandrinho logo após sair da cabine da atriz.

 

Infelizmente era a última noite da viagem e na manhã seguinte todos desembarcaram em Miami para voltarem cada um para o seu país. Sandrinho não encontrou mais o seu romance mais ilustre.

 

Ele até tentou segurar, mas não agüentou. No meio da viagem de volta, desabafou:

 

         – Zé, vou te falar um negócio, você me conhece. Não sou de mentir.

         – Fala cara.

         – Ontem à noite, na festa do navio, você reparou que eu sumi um tempo?

         – Não cara, estava pegando a colombiana. Você não viu?

         – Não, não. Mas enfim, eu estava na cabine da Julia Roberts.

         – Hahahaha, sei.

         – É sério. Ela estava no cruzeiro todo o tempo e ontem na balada, me pagou um Dry Martini e me chamou para subir.

         – Sei.

         – Você está sendo irônico?

         – Claro! Como você quer que eu acredite em uma história dessas?

         – Eu juro Zé! Eu comi a Julia Roberts.

         – E eu a Dilma Roussef. Como sou azarado né?

         – Pô Zé, to falando sério.

         – Eu também pô!

 

Nesse mesmo instante, irritado, Sandrinho virou pro lado e tentou pegar no sono. Lembrando da Julia, ó doce Julia.

 

Já no Brasil, marcou uma cerveja com os amigos da faculdade. Desconfiado, não resistiu:

 

         – E aí Jeca, beleza?

         – Beleza Sandrinho, como que foi o cruzeiro cara?

         – Foi bem legal cara. Viu, eu tenho uma coisa pra te contar de lá. Algo inacreditável.

         – Manda!

         – Eu comi a Julia Roberts, na última noite do cruzeiro.

         – O quê?

         – Ela pintou na balada, me pagou uma bebida e me convidou pra subir.

         – A Julia Roberts?

         – A Julia Roberts!

         – E ela se masturbou com o Oscar dela?

         – Como assim cara?

         – Pô Sandrinho, você não quer que eu acredite nessa história né?

         – Pô Jeca, é sério!

         – Desculpa Sandrinho, não dá pra acreditar.

         – Que raiva cara, to falando sério: eu comi a Julia Roberts!

         – Foto?

         – Não.

         – Bilhete de despedida?

         – Não.

         – Nem um chupão?

         – Não.

         – Pelo menos o boquete dela é gostoso?

         – É cara.

         – Hahahaha, Sandrinho, acho que a maresia te fez enlouquecer.

         – Eu te juro cara, eu comi a Julia Roberts.

         – Tá bom cara. Tá bom. Bom, eu vou lá comprar uma cerveja e pagar um drink para a Sandra Bullock, olha ela ali. Quem sabe ela não me dá também?

 

Depois de sair enfurecido do bar, após toda a turma e inclusive os funcionários do boteco souberem da história e ficarem a noite inteira sacaneando o rapaz, Sandrinho foi embora com uma única convicção na cabeça:

 

         – Juro que não vou contar essa história para mais ninguém.

 

E resmungou para si próprio:

        

         – Que merda Sandro. Nem uma foto porra? Nem uma mísera foto para comprovar a história? Que merda, como você foi estúpido.

 

O tempo passou e Sandrinho ficou conhecido como o homem que comeu a Julia Roberts. Inclusive começaram a chamá-lo de Sandro Roberts.

 

Mas dois anos depois, em uma divulgação pelo Brasil de um novo filme seu, Julia liga:

 

         – Hi, Sandro? Remember me?

 

O conteúdo da ligação não vale a pena ser contado por aqui. Mas é importante dizer que Sandro negou o convite para uma noite e nada mais no hotel que a celebridade estava hospedada. E negou o convite de uma forma pra lá de estúpida.

 

Ele estava cansado de ser sacaneado.

 

No iPod toca: Lobo Mau – Roberto Carlos

O tempo lá fora é de: sol bem gostoso.

Anúncios




Stella Artois em nova versão: 985ml

5 11 2008

stella

 

Bem no começo desse blog, eu fiz um tópico falando da Heineken em barril de 5l, que na época me deixou lotado de ansiedade para comprar a novidade.

 

E desde lá, eu não encontrava nenhuma novidade no mercado de cervejas que me fizesse salivar de vontade. Até agora.

 

Pois a minha angustia acabou. A AmBev lança nesta semana uma nova versão da deliciosa Stella Artois: a garrafa de 985ml, isso mesmo, quase 1l de Stella Artois dentro da sua geladeira.

 

A cerveja que chegou em 2005 no Brasil e contava até hoje somente com duas versões: long neck de 275ml e chope, vem agora saciar a sede dos mais gulosos. Como eu. Mas infelizmente somente os sortudos moradores de três cidades poderão comprar a iguaria: São Paulo em 70 Pdv’s, Porto Alegre em 50 Pdv’s e Rio de Janeiro em 50 Pdv’s.

 

A campanha publicitária recebe a assinatura da BorghiErh/Lowe e as peças contam com o slogan: Nova Stella Artois 985ml. Para grandes comemorações.

 

Pequenas ou grandes, aproveite e saúde!

 

Valeu!

Homer Simpson

 

No iPod toca: The Tune – Helloween

O tempo lá fora é de: Calor pela manhã.





Crueldade nua e crua

3 11 2008

Não sei a razão disso ter acontecido.

Nem quando aconteceu.

Parece que foi no Irã.

Pura crueldade.

 

 

Meus pêsames a todos nós, que perdemos companheiros ilustres.

 

 

 

Alguém sabe o porquê disso tudo?

 

Um minuto de silêncio,

João Andador

 

No iPod toca: Cretina – Velhas Virgens

O tempo lá fora é de: Nublado. Mas muito agradável.





Notícias Bizarras 6: A Égua e o Pub

30 09 2008

Grande Égua Peggy.

Minha companheira de bebidas, porções saborosas e porres memoráveis.

Uma pena que não mais a encontrarei por lá!

É só clicar: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/09/080930_pubproibecavalo_np.shtml

Até a próxima pessoal.

Um coice,

Pé de Pano.

No iPod toca: Broken, Beat & Scarred – Metallica

O tempo lá fora é de: frio chato.





Devotos no Tio Madalena! 09/02 – 23h

7 02 2008

Atenção: este post tem caráter pessoal-promocional-musical.

Neste sábado, a maior banda de Samba Rock/Sublime do circuito pseudo-universitário vai voltar com tudo, para iniciar a sua turnê de 2008. Os Devotos da Álvaro Alvim estão de volta com novas músicas e com os mesmos integrantes.

O local para tal falado retorno, será o já famoso Tio Madalena, reduto oficial da banda. Espero por vocês.

O ambiente é aconchegante, a música é boa e a cerveja é barata.

Confira:

Devotos da Álvaro Alvim no Tio Madalena
Rua Cardeal Arcoverde, 1769 – Vila Madalena – SP
Sábado, 09/02 – 23h
Homem – $5
Mulher – $3

Segue abaixo um flyer inicial para mais informações ilustrativas (é só clicar):

DevotosTio

Até lá,
Brandão.

Obs.: Para quem não sabe, eu sou o baterista da banda.

No iPod toca: Mais uma de Amor – Blitz
O tempo lá fora é de: Sol gostoso para o almoço!
O Mac não dá pau desde: 21/01 (17 dias)





Heineken em Barril!

9 01 2008

Heineken em Barril

Certas coisas você aprende a gostar. Lembro-me da primeira vez que comi açaí, por exemplo. Logo de cara não me atraí por aquela substância pastosa e roxa, não era uma das coisas mais “nham-nham” que pude conhecer. Mas enfim, depois de uma, duas, três experimentadas, peguei gosto pela coisa. Hoje em dia, por muitas vezes sinto vontade de saborear um açaí geladinho com granola e banana picada. Mesmo quando o frio é o clima predominante da temporada.

E foi assim também com a cerveja, lembro de quando era um pequeno jovem experimentando a loirinha pela primeira vez. A vida já bastava para a quantidade de amargura que o liquido podia me proporcionar. Mas enfim, a socialização era necessária, e a cerveja foi se tornando companheira constante nos meus dias, chegando a ocupar quase que 95% da pequena geladeira estrategicamente posicionada em meu quarto musical.

E já inserido no universo cervejeiro, durante as minhas idas ao falecido O’Malley’s, pude experimentar a holandesa e inconfundível verdinha Heineken. Sabor extremamente característico, amargura pra lá de metro e uma cara de estranhamento em meu rosto. No começo não gostei, mas continuava a solicitá-la à garçonete, afinal era a mais “em conta” da casa.

E vejam só meninos e meninas, hoje em dia, não tenho dúvida que a Heineken é a melhor cerveja Premium que nós brasileiros podemos consumir a um preço acessível. E procuro ostenta-la em minha residência com certa freqüência. E segundo li no Estadão, em pesquisa realizada por eles, a Heineken foi eleita a Melhor das Cervejas Premiuns, fato que já tinha sido proferido por mim neste mesmo parágrafo.

Mas além de suas cativantes propagandas, patrocínio quase que eterno à Champions League, a verdinha lança uma das coisas mais bacanas que pude ver em um supermercado nos meus últimos 22 anos: um barril de 5 litros que você pode levar para a casa. Isso mesmo, um barril da Heineken, de 5 litros, estacionado na sua sala de jantar e dormindo em sua geladeira. Além de ser facilmente adquirido nas melhores lojas do ramo (apesar de que na realidade não estou o encontrando com freqüência).

Pedida certa àqueles encontros casuais com a patotinha do colégio ou pequenos ensaios da sua bandinha pra lá de animada, o Barril garante volume e sabor em doses razoáveis e agradáveis. E se você não tiver fôlego e disposição suficiente para zerar o simpático barril em uma tomada só, você pode sim guarda-lo para um segundo round. É só fechar o compartimento de evasão.

Longa vida à Heineken e às boas idéias feitas pensando em nós, bebedores de cerveja.

Um beijo a todos,

Homer Simpson

 Obs.: Espero de coração que todos vocês, queridos leitores, que já ultrapassarm a marca de 1.000 (eu mesmo devo ter entrado umas 800 vezes), tenham tido um ótimo final de ano e um ótimo começo de 2008. Perdão pela demora para realizar posts novos.

No iPod toca: Luz – Engenheiros do Hawaii
O tempo lá fora é de: Sol forte entre nuvens.





Tudo tem um começo!

22 08 2007

Batera Fantasia

Meu nome é Bruno Brandão Martins, 22 anos, baterista, paulistano, formado em Comunicação pela ESPM de São Paulo e tenho gostos bem comuns a todo o meio, como por exemplo: futebol, música e cerveja. E este blog foi criado para falar justamente desses assuntos! Vejam só que coincidência agradável.

Desde que comecei a procurar empregos na área de redação, desejei falar e escrever sobre esses assuntos. Como até hoje, só consegui trabalhar com um deles – a cerveja – espero matar a minha ânsia de produção neste diário eletrônico. Quem sabe, em um futuro próximo ou longínquo, possa conquistar novas posições com as letras e frases que postarei por aqui.

Quando puder, também espero contar com escritores convidados. Irei chamá-los, assim que este blog angariar visitantes e apreciadores. Também não deixarei de fora outros assuntos que me fazem abrir um esboço de sorriso no canto da boca, são eles: publicidade, cinema, humor, internet e pessoas em geral. Porém tentarei, como dito no começo dessa introdução, me aprofundar nos três pilares principais de meu prazer humano: futebol, música e cerveja.

Visite sempre, comente e aproveite!
E para o deleite de todos, ofereço uma pequena foto de minha pessoa em um momento, digamos assim, de Muito Horrorshow!

Um beijo a vocês,
Gérard Depardieu

Em tempo: sou são paulino, gosto de rock’n’roll e me dá fome quando bebo cerveja.

No iPod toca: Keep Talking – Pink Floyd
O tempo la fora é de: Sol entre nuvens