Letícia, a Rainha da Farmácia

27 11 2008

Lucas não queria acreditar, mas era impossível não perceber: ele estava completamente apaixonado pela Letícia. Mais conhecida como a Fast-Food da faculdade.

Lucas estava de quatro pela garota que todos os seus amigos já tinham experimentado antes dele.

 

O Dengue? Duas vezes.

O Pedrinho? Foi o primeiro de todos.

O Gusmão? Sempre no final das festas dava uma passada pela Letícia.

O Hugo? Fazia sempre o esquema: cinema – casa da Letícia.

 

E por aí vai. 90% dos homens que o Lucas conhecia na faculdade de farmácia já tinham trocado carícias com a Lê. A mulher que ele não conseguia mais tirar da cabeça.

 

De início ele relutou. Dizia para si mesmo:

 

– Não é possível Lucas. Logo a Letícia. Por que você foi dar aquele beijo de comemoração no final da formatura? Logo você, que era o único que nunca tinha experimentado.

 

Mas ele não tinha mais nada para fazer. Seu coração e pensamento tinham uma nova dona: Letícia, a rainha da farmácia. Título dado a ela pelo pessoal da Atlética.

 

E para piorar a situação do recente apaixonado, a Lê também era só Lucas na cabeça. Desde a formatura foram só telefonemas, scraps românticos e trocas de elogios:

 

         – Você é lindo Lucas.

         – Nunca tinha ficado com um cara como você.

         – Por que a gente não namora?

E eles namoraram.

E continuam a namorar.

 

A Lê sossegou e nunca mais passou pelas mãos de outros homens. Mas os amigos do Lucas nunca deixaram de relembrar os momentos com a nova namorada do colega.

 

De tempo em tempo, Lucas sempre pedia algumas dicas para eles.

E sem demorar, eles davam. Com detalhes.

No iPod toca: Welcome to Tijuana – Manu Chao

O tempo lá fora é de: nublado pela tarde.

 

 

Anúncios




Coelhinhas da Playboy

24 11 2008

A última Playboy comprada pelo Caco foi capaz de derrubar vários fios de cabelo de sua recente calvície:

 

         – 22 anos! Como assim 22 anos? Como uma coelhinha da Playboy pode ter 22 anos?

 

Caco, naquele momento, tinha acabado de descobrir que as moças que ele tanto desejava tinham exatamente a sua idade: 22 anos.

 

A partir daí ele teve ainda mais certeza que durante toda sua vida, não tinha chegado nem perto de uma garota como aquela da revista. E assustado com toda aquela situação, fez uma promessa para si mesmo:

 

         – Chega dessa vida de punheta Caco. Vá para a guerra, arranje uma garota como essa. Você tem 22 anos como elas.

 

E Caco saiu caçando baladas e festas atrás de sua própria garota de revista. E procurava tanto, que aquilo se transformou em uma verdadeira obsessão. Caco só queria saber de garotas de revista.

 

Começou por baixo. As primeiras fizeram algumas pontas na Capricho, outras no máximo apareceram numa foto de canto de página na Ti-Ti-Ti. Mas ele sabia que tinha começar de algum jeito.

 

Depois de alguns meses, Caco se tornou o maior freqüentador de festas de editoras e revistas. Estava presente em todas.

 

E uma noite, Caco teve a certeza que tinha encontrado a mulher ideal:

 

         – Qual o seu nome?

         – Fernanda e o seu?

         – Caco.

 

Papo vai, papo vem e o rapaz teve a certeza de que tinha tirado a sorte grande:

 

         – Você faz o quê?

         – Sou modelo.

         – Dessas de sair em revistas?

         – Hahaha, também.

         – Mas nessas revistas onde as modelos usam pouca roupa?

         – Nessas e naquelas onde elas não usam nenhuma.

         – Você quer ir até o meu carro?

         – Quero.

 

E foi lá que Caco teve uma noite inesquecível com a sua tão desejada garota de revista. E continuaram firmes e fortes, Caco e Fernanda, durante anos. Um relacionamento perfeito.

 

Só que Caco nunca teve a curiosidade de perguntar qual revista a Fernandinha costumava freqüentar. Ele estava realizado, nas nuvens.

 

Sorte dele, porque a resposta não seria muito agradável.

 

Fernanda era sempre a “Month Dirty Hot Chick” da “Brazil with Open Legs”, uma publicação pornô famosíssima em toda a Ásia. Mas só lá na Ásia.

 

No iPod toca: Onde você Mora? – Cidade Negra

O tempo lá fora é de: chovendo e cinza.





Espaço JG Número 5 – Curtas I

30 10 2008

Sexta-feira passada eu estava impossibilitado de atualizar o blog, sendo assim o Espaço JG ficou ausente. Mas o texto dos últimos sete dias é este aqui que irei postar agora e, amanhã, voltaremos com a programação normal!

 

Obrigado pela compreensão e boa leitura!

 

Brandão – Muito Horrorshow!

 

No iPod toca: Donde Estas Corazon – Shakira

O tempo fora é de: muito gostoso.

Curtas I

Por João Guilherme Pires

–    Meu, cê num sabe quem eu peguei ontem!
–    Fala aí!
–    Lu-a-na Pi-o-va-ni.
–    Quê?
–    É malandro!
–    Como assim? Onde?
–    Numa festa de casamento.
–    Casamento de quem?
–    Dela e do Dado Dolabella.
–    Não brinca!
–    É, foi no finalzinho, eles já tinham terminado.

 

 

 





Subway Night Fever! Mind the Beer!

6 06 2008

O novo prefeito de Londres proibiu o consumo de bebidas alcoólicas no metrô. Sendo assim, no último dia antes da proibição, milhares de jovens invadiram as estações para beber uma última vez!

Resultado: 6 estações tiveram que ser fechadas, vários vagões foram danificados e 17 pessoas foram presas!

Estação (Puts-Puts-Puts) Vila (Puts-Puts-Puts) Madalena (Puts-Puts-Puts)

Veja as imagens da noitada abaixo:

Dica da Nicolle!

Um até logo,

Mel C.

No iPod toca: A Little Time – Helloween

O tempo lá fora é de: sol gostoso!





Jogos, música e correria!

15 05 2008

É bom em palavras e fera na língua inglesa? Então você precisa conhecer esse jogo:

http://grant.robinson.name/projects/guess-the-google/game.php?l=5

É bom em geografia e sabe a exata localização da muralha da China de ponta a ponta? Então esse é o seu jogo:

http://www.travelpod.com/traveler-iq

Gosta de samba rock e quer ver o dono do blog tocando? Então essa é a sua balada de hoje:

Um beijo a todos,

Brandão!

No iPod toca: Superstitious – Europe

O tempo lá fora é de: sol gostoso de outono.