Espaço JG Número 6 – Texto Pouco Objetivo I

31 10 2008

Sexta-feira, começo do querido final de semana, aquele clima gostoso, dia de pirata no Muito Horrorshow!

 

Boa leitura a todos!

 

No iPod toca: Easy – Faith No More

O tempo lá fora é de: friozinho pela tarde.

 

Texto Pouco Objetivo I

Por João Guilherme Pires

 

Premissa 1 – A Natureza é perfeita.
Ou, pelo menos, é isso que ouvimos por aí, certo? Amebas, nematelmintos, cordados, todos os seres, juntos, unidos nessa missão complicada que é sobreviver. Um produz oxigênio, outro gás carbônico, um come planta, outro come o que come planta. Um equilíbrio perfeito.

Premissa 2 – O homem faz parte da Natureza.
Isso você também já sabe. Afinal, os fósseis de Adão e Eva nunca foram encontrados. E a única serpente nessa história é a que ficava no meio das pernas do homo-erectus. Aliás, como ele ficava erectus com tanto pêlo e sem nem um sutiãzinho pra segurar a onda, não sei. Bom que ficou, senão eu não existiria. Fez-se o homo sapiens, via seleção natural e algumas baladas nas cavernas, e aqui estamos. Natureza pura.

Paradoxo 1 – Natureza Perfeita x Homem Imperfeito
Ok, temos a Natureza perfeita. O homem faz parte dela. Agora, e esse lance degradação do meio ambiente, escassez de recursos naturais, superpopulação e coisa e tal? Quer dizer, somos uma espécie agressora ao próprio ambiente que nos gerou. “Putz! Eu sou um tumorzinho safado, é isso?!”. Se for assim, os grandes desastres naturais podem ser os anticorpos hein, hein?

Plágio 1 – Isso já foi dito antes.
Eu sei. Inclusive tem um mano, James Lovelock, que afirma: o planeta é um ser vivo chamado Gaia. Bem que parece mesmo uma célula, diz aí? Agora, por que Gaia e não Mesquita ou Toni? Vou pesquisar. Depois.

Hipótese 1 – Somos apenas enzimas?
Se o Sr. Lovelock estiver certo todos nós que pertencemos a esse monstrão chamado Terra formos apenas partes específicas desse ser, eu e você somos, tipo, uma enzima! Sim, com papel, funções e razões específicas para existir. Por exemplo: eu faço anúncios com uma gostosa bebendo cerveja e coloco no bar. Aí o garotão vê e pensa que tomando aquela cerveja pode pegar uma gostosa daquelas. E, depois de algumas, acha a gordinha da mesa do lado uma gostosa daquelas. Logo lá estão eles perpetuando a espécie e, quem sabe, em 9 meses nasça uma enziminha. 

Choque e Indignação 1 – Ok, sou uma enzima, o que eu faço agora?
Nada! Continue vivendo sua vida, meu caro. Não importa o que escolher, você não é tão livre assim: há sempre um papel a ser cumprido no organismo. Fique na boa, economize água, polua menos, conheça enzimas diferentes, seja bom com as enzimas mais próximas, cuide da sua saúde enzimática, treine bastante para a hora de se multplicar. Aliás, interessadas, podem escrever para: enzima_sarada22x18@hotmail.com

 

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: