Espaço JG Número 6 – Texto Pouco Objetivo I

31 10 2008

Sexta-feira, começo do querido final de semana, aquele clima gostoso, dia de pirata no Muito Horrorshow!

 

Boa leitura a todos!

 

No iPod toca: Easy – Faith No More

O tempo lá fora é de: friozinho pela tarde.

 

Texto Pouco Objetivo I

Por João Guilherme Pires

 

Premissa 1 – A Natureza é perfeita.
Ou, pelo menos, é isso que ouvimos por aí, certo? Amebas, nematelmintos, cordados, todos os seres, juntos, unidos nessa missão complicada que é sobreviver. Um produz oxigênio, outro gás carbônico, um come planta, outro come o que come planta. Um equilíbrio perfeito.

Premissa 2 – O homem faz parte da Natureza.
Isso você também já sabe. Afinal, os fósseis de Adão e Eva nunca foram encontrados. E a única serpente nessa história é a que ficava no meio das pernas do homo-erectus. Aliás, como ele ficava erectus com tanto pêlo e sem nem um sutiãzinho pra segurar a onda, não sei. Bom que ficou, senão eu não existiria. Fez-se o homo sapiens, via seleção natural e algumas baladas nas cavernas, e aqui estamos. Natureza pura.

Paradoxo 1 – Natureza Perfeita x Homem Imperfeito
Ok, temos a Natureza perfeita. O homem faz parte dela. Agora, e esse lance degradação do meio ambiente, escassez de recursos naturais, superpopulação e coisa e tal? Quer dizer, somos uma espécie agressora ao próprio ambiente que nos gerou. “Putz! Eu sou um tumorzinho safado, é isso?!”. Se for assim, os grandes desastres naturais podem ser os anticorpos hein, hein?

Plágio 1 – Isso já foi dito antes.
Eu sei. Inclusive tem um mano, James Lovelock, que afirma: o planeta é um ser vivo chamado Gaia. Bem que parece mesmo uma célula, diz aí? Agora, por que Gaia e não Mesquita ou Toni? Vou pesquisar. Depois.

Hipótese 1 – Somos apenas enzimas?
Se o Sr. Lovelock estiver certo todos nós que pertencemos a esse monstrão chamado Terra formos apenas partes específicas desse ser, eu e você somos, tipo, uma enzima! Sim, com papel, funções e razões específicas para existir. Por exemplo: eu faço anúncios com uma gostosa bebendo cerveja e coloco no bar. Aí o garotão vê e pensa que tomando aquela cerveja pode pegar uma gostosa daquelas. E, depois de algumas, acha a gordinha da mesa do lado uma gostosa daquelas. Logo lá estão eles perpetuando a espécie e, quem sabe, em 9 meses nasça uma enziminha. 

Choque e Indignação 1 – Ok, sou uma enzima, o que eu faço agora?
Nada! Continue vivendo sua vida, meu caro. Não importa o que escolher, você não é tão livre assim: há sempre um papel a ser cumprido no organismo. Fique na boa, economize água, polua menos, conheça enzimas diferentes, seja bom com as enzimas mais próximas, cuide da sua saúde enzimática, treine bastante para a hora de se multplicar. Aliás, interessadas, podem escrever para: enzima_sarada22x18@hotmail.com

 

Anúncios




Planeta Terra 2008: The Offspring

31 10 2008

Agora sim rapaziada, com vocês: The Offspring!

 

País: EUA

Ano de Origem: 1984

Site: http://www.offspring.com

Integrantes: Dexter Holland (voz e guitarra), Greg Kriesel (baixo e voz), Kevin “Noodles” Wasserman (guitarra e voz) e Pete Parada (bateria)

Influências: Punk Rock, Skate Rock e Pop Punk.

Discografia:

         The Offspring (1989) – Relançado em 1995

           Sucessos: Blackball, I’ll be Waiting e Kill The President

           Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

 

         – Ignition (1992) – Remasterizado em 2008

           Sucessos: Kick Him When He’s Down, a única canção lançada individualmente.

          Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

 

         – Smash (1994) – Remasterizado em 2008

           Sucessos: Come Out and Play, Self Esteem, Gotta Get Away e Bad Habit.

          Recepção da Crítica: Muito Boa. 4 estrelas de 5.

 

         – Ixnay on the Hombre (1997)

           Sucessos: All I Want, Gone Away, The Meaning of Life e I Choose.

           Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

 

         – Americana (1998)

           Sucessos: Pretty Fly (For a White Guy), The Kids Aren’t Alright, Feelings, She’s Got Issues e Why Don’t You Get a Job?

           Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

 

         – Conspiracy of One (2000)

           Sucessos: Original Prankster, Want You Bad e Million Miles Away.

           Recepção da Crítica: Muito Boa. 4 estrelas de 5.

 

         – Splinter (2003)

           Sucessos: Hit That, (Can’t Get My) Head Around You e Spare Me The Details.

           Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

 

         – Rise and Fall, Rage and Grace (2008)

           Sucessos: Hammerhead e You’re Gonna Go Far, Kid – O disco é recente, somente estes dois singles foram lançados.

           Recepção da Crítica: Boa. 3 estrelas de 5.

Curiosidade Horrorshow: a banda possui dois recordes pra lá de interessantes: é deles o disco mais vendido da história por uma gravadora independente, o Smash de 1994. E a música Why Don’t You Get a Job?, do disco Americana de 1998, é a faixa mais baixada da história da internet.

Foto Horrorshow:

 

No iPod toca: I’m So Tired – The Beatles

O tempo lá fora é de: frio pela manhã.





Bate nele, Rubinho!

31 10 2008

20 anos depois do primeiro título do Ayrton Senna do Brasil na Fórmula 1, finalmente o nosso país tem a chance de ver um novo campeão.

 

Bem amigos da Rede Globo, o nosso compatriota Felipe Massa tem que fazer 7 pontos a mais que o inglês bonachão Lewis Hamilton. Isso significa: o brasileiro ganhar a prova e o britânico chegar abaixo do 6º lugar.

 

Tarefa difícil você pode pensar.

Mas eu digo para você: ledo engano.

 

O blog Buzz (http://buzz.globo.com/buzz/) lançou a campanha e eu, amante das vitórias tupiniquins, não poderia ficar fora dessa. Com vocês, o mote do momento:

 

Bate nele, Rubinho!

 

A tarefa é fácil Rubens, use toda a sua criatividade e jogue o carro pra cima do clone do Robinho. Aí sim, Felipe Massa vai faturar o caneco e se isso acontecer, duvido que o Galvão não sofra um infarto ao vivo.

 

Não tem complicação, não existem perguntas, a missão é uma :

 

Bate nele, Rubinho!

 

 

E você? Tem um blog? Divulgue!

 

 

Até o próximo GP,

Jean Alesi

 

No iPod toca: It’s a Long Way to The Top (If you Want to Rock’n’Roll) – AC/DC

O tempo lá fora é de: friozinho pela manhã.





Upside Down Dogs!

30 10 2008

Mais um blog de fotos inusitadas.

 

http://upsidedowndogs.com/

 

O melhor amigo do homem visto em uma posição que não estamos acostumados a ver.

 

Boa navegação a todos!

 

Um latido,

Bandit!

 

No iPod toca: Beat It – Michael Jackson

O tempo lá fora é de: parece que tá gostoso.

 

 





Planeta Terra 2008: os ingressos acabaram!

30 10 2008

É rapaziada, quem comprou comprou, quem não comprou não vai comprar mais.

http://www.ticketmaster.com.br/shwReleaseDetail.cfm?releaseID=2019

Os ingressos para o Planeta Terra 2008 acabaram. Agora, só nas promoções que irão rolar por aí.

 

Fiquem atentos!

 

Beijos,

Brandão – Ticketmaster

 

No iPod toca: Cadê Tereza – Farufyno

O tempo lá fora é de: bem agradável.





Van Halen: Panama no Panamá!

30 10 2008

 

Como uma vez eu pirei com os meus amigos de faculdade (http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=195169):

 

Imagina o Van Halen tocando Panama no Panamá!

 

Juro, a galera ia ficar maluca.

 

No iPod toca: Panama – Van Halen

O tempo lá fora é de: bem agradável.





The Brokers With Hands On Their Faces Blog

30 10 2008

Na onda da crise financeira que anda rolando mundo afora, ficamos acostumados a ver nas capas dos periódicos, imagens de corretores pirando, surtando, ficando estressados e por aí vai.

 

E já era hora de alguém compilar as melhores fotos.

Mas agora os seus problemas acabaram:

http://brokershandsontheirfacesblog.tumblr.com/page/1

 

Um blog que registra as melhores fotos de corretores com as mãos no rosto em um claro momento de desespero. Ou quase isso.

 

Bom divertimento e como disse o meu amigo Eric, dono da dica, parece um Image Bank.

 

Até a próxima,

Tio Patinhas.

 

No iPod toca: Adeus Maria Fulô – Os Mutantes

O tempo lá fora é de: bem agradável.